quarta-feira , junho 19 2019
Início / Tag Archives: educação ambiental

Tag Archives: educação ambiental

Ministério oferece oito cursos a distância

Inscrições, abertas ao público em geral, podem ser feitas até dia 16. Entre os temas, estão água, unidades de conservação e produção e consumo sustentáveis.

Brasília – O Ministério do Meio Ambiente (MMA) abre, a partir desta segunda-feira (7), inscrições para oito cursos de educação a distância (Ead). Os cursos são autoinstrucionais (sem tutoria) e estão abertos ao público geral.

Entre os temas abordados, estão água, unidades de conservação, produção e consumo sustentáveis, resíduos sólidos e educação ambiental.

As inscrições podem ser feitas até o dia 16 dentro do ambiente virtual de aprendizagem do MMA. Os interessados que ainda não possuem login, devem fazer cadastro, preenchendo algumas informações no próprio ambiente virtual.

Feito o login, a pessoa pode se inscrever em um ou mais cursos de sua preferência. É importante ficar atento ao prazo, pois a efetivação da inscrição está condicionada ao número de vagas – duas mil para todos os cursos.

Todo o conteúdo dos cursos é livre para uso público e está disponível para que instituições parceiras possam, caso queiram, oferecê-lo em suas próprias plataformas Moodle.

Tabela EAD copy
Serviço:
FONTE: MMA 

Equipes de educação ambiental visitam oito escolas da região noroeste do estado

Divulgação / Semad 1800 alunos de escolas públicas são alvo de ação de educação ambiental

 

Promover a cultura de preservação ambiental entre crianças e adolescentes é um dos focos da Fiscalização Preventiva Integrada, que está ocorrendo esta semana na Bacia do Rio São Francisco. A ação vai atingir 1.800 alunos de escolas públicas do 1º ao 9º ano do ensino fundamental de escolas públicas dos municípios de Buritizeiros, Guarda Mor, João Pinheiro, Lagoa Grande, Presidente Olegário e Vazante.

As atividades consistem em palestras dinâmicas e apresentações de teatro. O eixo condutor é a água, por meio da qual são tratados outros temas, como desmatamento e queimadas, aquecimento global, ciclo hídrico, piracema, destinação do lixo, tratamento do esgoto e doenças.

As ações, desenvolvidas por servidores da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad,) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (Ima), contam com direcionamentos específicos à faixa etária dos alunos.

Segundo a coordenadora de Educação Ambiental da FPI, servidora da Semad, Luiza de Marilac Froes, “Para as crianças do 1º ao 6º, a ação se inicia com uma palestra sobre educação sanitária e finaliza com um teatro de fantoches. Já os alunos do 6º ao 9º participam de uma peça de teatro interativa. Ao final das apresentações, são distribuídos materiais educativos”.

A novidade desta fase da FPI é justamente a inclusão de estudantes pré-adolescentes.

FPI NoroestedeMinas5 Dentro
Divulgação / Semad. Alunos do 1º ao 6º ano assistem a um teatro de fantoches

Rodrigo Cordeiro, servidor do Ibama, explica que a palestra destinada a esse público foi estruturada sob a forma de teatro espontâneo, “para desenvolver a consciência ambiental nos alunos de forma lúdica e concreta, nos aproximando da sua realidade de vida e colocando-os como protagonistas da apresentação. Essa dinâmica também incentiva a sua participação e senso quanto à realidade em que vivem”.

O trabalho dirigido aos pré-adolescentes é realizado através de dois personagens: João Rancatoco, o irmão degradador do ambiente, e Zé Curió, o irmão preservacionista. No decorrer da apresentação, Curió pede ajuda aos alunos para convencer Rancatoco quanto à importância da preservação e do desenvolvimento sustentável, e, nesse percurso, são trabalhados todos os temas integrados ao eixo condutor.

Ao final, os apresentadores retiram a caracterização dos personagens e se apresentam como servidores do Ibama, salientando que, “embora tenhamos abordado os temas de forma lúdica, elas se constituem em questões sérias e importantes para nossas vidas. Ato contínuo, retomamos todos os temas, em uma palestra tradicional, integrando-os e demonstrando o ciclo biológico em toda a sua amplitude e destacando a importância de cada um dos seus componentes para manutenção da vida na Terra”, informa Rodrigo Cordeiro.

Para o coordenador-geral da FPI Minas, Sérgio de Almeida Cipriano, “o trabalho das equipes de Educação Ambiental é fundamental para os propósitos da FPI, porque promove a conscientização, contribuindo para que danos ambientais não ocorram no futuro. Além disso, esse tipo de público tem uma importância fundamental na propagação das mensagens, porque as leva para o ambiente familiar de maneira totalmente sincera e desprovida de pré-conceitos”.

A FPI está sendo realizada em oito municípios da Região Noroeste de Minas Gerais (Bonfinópolis de Minas, Buritizeiro, Guarda-Mor, João Pinheiro, Lagamar, Lagoa Grande, Presidente Olegário e Vazante) por mais de 150 agentes de 14 órgãos públicos federais e estaduais.

A atuação da FPI Minas, atividade de caráter continuado e permanente, teve início em 2017 na região norte do Estado e prosseguiu este ano na região noroeste. Nas duas etapas, foram realizadas ações de educação ambiental, com públicos que, somados, já ultrapassaram quatro mil alunos.

 

FONTE: Semand

Itatiaia promove Semana de Acessibilidade

Unidade oferece uma trilha sensitiva voltada a visitas monitoradas para o público com deficiência visual (cegueira e baixa visão) e demais interessados.

Divulgação / ICMBio

 

Passeios pela trilha sensitiva, oficinas e exposição foram promovidos, de 21 a 30 de setembro, na 2ª. Semana da Acessibilidade no Parque Nacional do Itatiaia. O evento contou com a participação de Instituições como a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Escola Municipal Rompendo o Silêncio (Atendimento Educacional Especializado), CEDEVIR (Centro Educacional Municipal de Atendimento a Deficientes Visuais de Resende) e Projeto Gente Eficiente que realiza trabalhos sensoriais.

A unidade oferece uma trilha voltada a visitas monitoradas para o público com deficiência visual (cegueira e baixa visão) e demais interessados. A visita é guiada pela trilha onde é estimulada a percepção do espaço, das formas das plantas, dos diferentes tipos de caules e folhas, estimulando os demais sentidos.

O tema Acessibilidade como Instrumento para Educação Ambiental e Inclusiva no Itatiaia vem sendo desenvolvido através de projetos e parcerias no Centro de Visitantes e na Trilha Sensitiva no Jardim Sensorial da unidade de conservação. O objetivo é garantir a acessibilidade como o primeiro passo para a inclusão social, garantindo a participação de pessoas com deficiência, expandindo a sensibilização vinculada à conservação da biodiversidade.

O Parque pretende todos os anos, no mês de setembro, realizar a culminância das atividades de Educação Ambiental e Inclusivas, realizadas durante o ano, promovendo a Semana da Acessibilidade, com práticas que viabilizem uma melhor qualidade de vida para a sociedade envolvida, como membros das comunidades do entorno, servidores, visitantes e parceiros do Parque.
FONTE: ICMBio