quarta-feira , dezembro 19 2018
Início / Clipping / Equipes do Ibama sofrem ataques durante fiscalização na Amazônia

Equipes do Ibama sofrem ataques durante fiscalização na Amazônia

Ministério do Meio Ambiente pediu urgência na investigação de dois atentados contra equipes. ‘Não vão nos intimidar’, disse ministro.

Divulgação / Jornal Nacional
Divulgação / Jornal Nacional

 

O Ministério do Meio Ambiente pediu urgência na investigação de dois atentados contra equipes que combatiam o desmatamento na Amazônia.

No caminho das equipes de fiscalização, uma ponte de madeira em chamas. O incêndio, na sexta feira (19), foi para tentar impedir uma operação do Instituto Chico Mendes contra o desmatamento na Floresta Nacional de Itaituba 2, no Sudoeste do Pará.

Segundo o instituto, moradores da região também bloquearam outros dois acessos à mata e atiraram para o alto para intimidar os agentes ambientais.

“No que depender de nós, vamos agir. Onde eles entrarem, nós vamos queimar ponte, vamos fazer coisas para eles sempre sofrerem”, diz um morador em uma gravação.

Os fiscais pediram reforço da Polícia Militar para deixar a floresta. Os agentes aplicaram 11 multas por desmatamento ilegal e apreenderam caminhões, tratores e motosserras.

No sábado (20), três carros do Ibama foram incendiados em Buritis, Rondônia, quando as equipes se preparavam para uma operação. A polícia prendeu um suspeito.

Em julho de 2017, oito carros do Ibama foram queimados em Altamira, Sudoeste do Pará. Três meses depois, as sedes do Ibama e do Instituto Chico Mendes, em Humaitá, no Sul do Amazonas, foram incendiadas. A ação criminosa foi após uma operação de combate ao garimpo ilegal no Rio Madeira.

Os ataques vêm ocorrendo no chamado arco do desmatamento, que começa no Norte de Rondônia, passa pelo Sul do Amazonas e vai até o Oeste do Pará. A região é cobiçada por madeireiros, garimpeiros e invasores de terras públicas por ser uma das áreas mais ricas em biodiversidade na Amazônia. Depois dos últimos atentados, o Ministério do Meio Ambiente disse que vai intensificar a fiscalização.

“Nós não vamos aceitar e não vamos permitir que atentem contra a vida e contra as ações de órgãos como o Ibama e ICMBio. Que essas ameaças e esses atentados agora, que eles não sirvam de intimidação porque não vão nos intimidar, nós vamos continuar trabalhando porque a nossa ação é contra o crime. Nós estamos atuando contra àqueles que estão na ilegalidade”, afirmou o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte.

FONTE: G1

Sobre Sindsema

Veja também

Lula recebe prêmio Chico Mendes por legado em defesa do meio ambiente

  Ex-presidente envia carta, lida durante cerimônia pela atriz Lucélia Santos, em agradecimento: “As sementes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *