Início / Clipping / SOCIEDADE REAGE: NÃO À LIBERAÇÃO DA CAÇA NO BRASIL!

SOCIEDADE REAGE: NÃO À LIBERAÇÃO DA CAÇA NO BRASIL!

SOCIEDADE REAGE: NÃO À LIBERAÇÃO DA CAÇA NO BRASIL!

Nos últimos anos, houve intensa movimentação de parlamentares para apresentar projetos de lei (PLs) que visam a liberar a caça de animais silvestres brasileiros. Hoje, existem quatro propostas neste sentido na Câmara dos Deputados (vide o quadro abaixo). Todas elas ignoram o Princípio da Dignidade Animal (art. 225, §1º, VII, da Constituição Federal de 1988), de que animais são seres sencientes, não podendo ser tratados como meras coisas ou mercadorias que podem ser mortos (“abatidos”) para diversão ou comercialização. Existem animais que são caracterizados como seres nocivos e prejudiciais às atividades humanas, desconsiderando-se o enfoque ecossistêmico. Em outras palavras, no escopo e nas justificativas dos projetos, é ignorado o fato de que a invasão, fragmentação e supressão de ecossistemas naturais pelo ser humano ocasiona desequilíbrios ecológicos, além de ofensa aos direitos fundamentais animais.

O quadro abaixo permite conhecer os objetivos e os impactos dessas quatro propostas:

Essa movimentação de legisladores para aprovar leis que legalizam a matança de animais por mera diversão, particularmente da fauna nativa, contraria a opinião da maioria da população brasileira, que não aceita atividades de caça, conforme abaixo demonstrado.

Em 2003, o PNUD/IBAMA realizou a mais abrangente pesquisa para aferir o que pensa o brasileiro sobre a caça. Denominada Pesquisa de Opinião Pública Utilização de Animais Silvestres”, envolveu um público aleatório de 1.676 pessoas, nas 27 unidades federativas brasileiras, totalizando 81 (oitenta e uma) cidades (incluindo todas as capitais dos estados brasileiros). Os entrevistados em momento algum souberam que o contratante era o IBAMA, para não influenciar nos resultados. Uma das perguntas do questionário, a ser respondida com “sim” OU “não”, foi a seguinte: Deve ser permitido caçar animais?”. O resultado apontou que dos pesquisados, 1.521/1.676 (90,8%) são contra a caça, 92/1.676 (5,5%) são favoráveis e 63/1.676 (3,7%) não souberam ou não responderam.

Além da pesquisa do PNUD/IBAMA de 2003, diversas outras manifestações da sociedade civil, do Ministério Público e da população foram realizadas, demonstrando a ampla rejeição aos projetos que pretendem liberar a caça, especialmente o PL 6.268/2016. Entre elas citamos:

Cerca de 400 mil assinaturas eletrônicas (nas plataformas Change, Avaaz e outras) foram coletadas contra o referido PL, sendo a mais conhecida a da Change, a qual, sozinha, contava, em 24/02/2019, com mais de 357 mil adesões (https://www.change.org/p/assine-contra-o- projeto-de-lei-que-autoriza-a-ca%C3%A7a-de-animais-silvestres-do-brasil).

Em 23 de janeiro de 2017, um total de cinco coletivos de ONGs ambientalistas de âmbito nacional (Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA, Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento FBOMS, Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – CN-RBMA, Rede Nacional Pró Unidades de Conservação Rede Pró-UC e Aliança Pró Biodiversidade – APB) organizaram um manifesto contra o PL 6.268/2016, o qual teve a adesão de 193 ONGs, técnicos e pesquisadores da área ambiental. O manifesto foi protocolado no Ministério do Meio Ambiente MMA e no ICMBio Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade.

Em 14 de fevereiro de 2017, o então chefe de Gabinete do ICMBio, Wajdi Rashad Mishmish, por meio do Ofício SET 62/2017-GABIN/ICMBio, respondeu ao manifesto das Redes Ambientais informando que o órgão confeccionou uma Nota Técnica manifestando-se de forma contrária à aprovação do PL 6.268/2016. Em 09 de março de 2017, o Gabinete do Ministro do Meio Ambiente respondeu ao manifesto supracitado por meio do ofício 161/2017/GM-MMA, em que se declara expressamente contrário ao teor do PL 6.268/2016, mediante a Nota Informativa 08/2017/DESP/SBF/MMA datada de 21 de fevereiro de 2017.

O Conselho Federal de Biologia (CFBio), autarquia federal de fiscalização do exercício profissional, se posicionou de forma contrária à aprovação do PL 6.268/2016 por meio de ofícios encaminhados nos

meses de fevereiro e maio de 2018 aos deputados federais Rodrigo Maia (presidente da Câmara) e Nilto Tatto (Relator do PL).

Em agosto de 2017, a associação Hachi ONG organizou um manifesto igualmente contrário ao inteiro teor do PL 6.268/2016, o qual foi assinado por 128 organizações da sociedade civil e o Ministério Público do Estado de São Paulo.

O Ministério Público do Estado de São Paulo MPSP redigiu a Nota Técnica 39/2018 com argumentos técnico-jurídicos contrários ao PL 6.268/2016.

O Relator do PL 6.268/2016, deputado Nilto Tatto (PT/SP), emitiu Parecer Contrário à aprovação do referido PL e de outro a ele apensando (o PL 7.129/2017 do deputado Alexandre Leite DEM/S), no âmbito da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) da Câmara.

O site da Câmara dos Deputados disponibiliza um sistema para enquetes online visando coletar a opinião dos cidadãos sobre projetos de lei em tramitação. Consulta realizada em 14/03/2019 sobre o PL 6.268/2016, em que 3.294 pessoas opinaram, revelou que 100% dos votantes são contra o teor do projeto de lei. Detalhando: 3.245 votantes (99%) escolheram a opção “Discordam Totalmente” do PL e 26 (1%) “Discordam na Maior Parte”. As 16 pessoas que escolheram a opção “Concordam Totalmente”, as 4 do “Concorda na Maior Parte” e as 3 do “Estão Indecisas” sobre o PL representam zero por cento (0%) do total de votantes em termos estatísticos.

Simular enquete para o PL 1.019/2019, com 254 votantes, revelou que 213 pessoas (84%) “Discordam Totalmente” ou na “Maior Parte” de seu teor. Outros 40 votantes (16%) “Concordam Totalmente” ou na “Maior Parte” com o PL e 1 pessoa (0%) está “Indecisa”. O PLP 436/2014 e o PL 7.136/2010 não disponibilizaram enquetes para votação.

Também, cabe citar outros importantes argumentos contrários à liberação da caça, especialmente aqueles relacionados às Ciências Biológicas, que inviabilizam o exercício da caça desportiva no Brasil:

A nossa fauna é de alta biodiversidade e de baixa densidade populacional por espécie, muito diferente dos países que liberaram caça como os EUA, o Canadá e países da África, que são frequentemente citados como modelos.

Nossa fauna tem alto endemismo e qualquer ação de caça pode gerar grande instabilidade nas populações faunísticas.

Não existem estudos populacionais (censos) das potenciais espécies cinegéticas (passíveis de manejo por caça), tanto em quantidade como em qualidade para, sequer, cogitar sobre a liberação da caça nestes locais.

Nossa fauna já sofre fortíssima pressão do tráfico de animais, desmatamento, poluição, atropelamentos, caça furtiva e outros fatores, para que se acrescente essa.

Os órgãos de fiscalização e de controle não possuem recursos humanos, logísticos e financeiros suficientes para monitorar a caça em um país continental como o nosso, particularmente nas regiões centro-oeste, nordeste e norte.

A deficiência de fiscalização e de educação ambiental e animalista propiciará que caçadores matem animais de espécies que não estarão listadas, ou em locais, períodos e quantidade não autorizadas.

Manejo e controle de fauna não são sinônimos de caça armada, havendo outras técnicas para controlar populações de animais classificados como “praga” ou “nocivos”.

Com certeza, animais da fauna brasileira serão “confundidos”, de má-fé, com a exótica, para efeitos de abate em campo. Em reportagem do dia 16/12/2018 exibida no programa “Fantástico”, a Rede Globo mostrou caçadores de javalis no Rio Grande do Sul, autorizados pelo Ibama, vangloriando-se por poderem matar os animais silvestres que queriam.

A eventual aprovação destes PLs e a liberação da caça no Brasil também acarretará em implicações na diminuição da geração de renda e empregos com atividades de turismo da natureza, bem como ameaças à segurança pública e privada. Os biomas brasileiros atraem turistas do mundo todo. Caso seja liberada a caça, haverá um declínio drástico da fauna em locais turísticos, como Amazônia e Pantanal Mato-grossense, e uma consequente redução de turistas e de divisas para o país.

As atividades de caça incitam e estimulam a violência, inclusive de crianças, sendo que a sua liberação interessa diretamente à indústria de armas e munições. Ademais, a segurança àqueles que frequentam áreas naturais pode ser drasticamente afetada. Em uma rápida procura no Google é possível encontrar notícias sobre acidentes com caçadores ou terceiros (trabalhadores rurais, pesquisadores em atividades de coleta de campo, observadores de aves e trilheiros da natureza), vítimas de acidentes com armas e armadilhas durante caçadas.

Na França, por exemplo, durante a temporada de caça 2017-2018, o Office National de la Chasse et de la Faune registrou 113 acidentes, incluindo 13 mortes (3 dos mortos não eram caçadores). Em 2013, mais de

7.000 americanos estiveram envolvidos em acidentes de caça.

Na Itália, em 31/01/2018, a associação Vittime della Caccia anunciou que a temporada de caça 2017-2018 foi marcada por numerosos e sérios acidentes de caça. Em novembro de 2017, naquele país, o WWF destacou que em menos de dois meses haviam registrado 44 vítimas (17 mortos e 27 feridos, incluindo 4 mortos e 7 feridos entre os não-caçadores). Uma situação que no final de dezembro de 2017 se agravou ainda mais com 25 mortos e 58 feridos. Na temporada anterior, 2016-2017, houve 16 vítimas de acidentes de caça.

A liberação da caça deverá aumentar também a violência no campo, uma vez que naturalmente haverá conflito de interesses entre proprietários rurais que não desejam a atividade em suas propriedades. Entre os conflitos, estão danos a benfeitorias, plantações e animais de criação (ovelhas, por exemplo) que podem ser atacados por cães utilizados na caça.

Aliás, os cães de caça também sofrem maus-tratos: a cada ano, cerca de 50 mil galgos são descartados na Espanha ao final da temporada de caça, que se encerra sempre no fim de fevereiro. Segundo a organização SOS Galgos, os cães são abandonados ou mortos pelos próprios caçadores com tiros, amarrados em trilhos de trem, enforcados, degolados, queimados vivos ou lançados em poços de onde são incapazes de sair (Fonte: Vegazeta, 04 de março de 2019).

Enfim, NÃO EXISTEM CONDIÇÕES PARA LIBERAR A CAÇA NO BRASIL!!!

Os quatro projetos de lei supracitados serão analisados em Comissões Temáticas da Câmara dos Deputados antes de irem para apreciação no Plenário daquela Casa de Leis.

Considerando o acima exposto, as instituições, pesquisadores e formadores de opinião, abaixo signatários, manifestam sua posição contrária ao teor dos supracitados projetos de lei e requerem aos deputados autores destes PLs, que os retirem de pauta, bem como, em caso de continuidade na tramitação, que os nobres deputados votem por sua REPROVAÇÃO nas comissões e plenário da Câmara.

INSTITUIÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL, TÉCNICOS E PESQUISADORES QUE ASSINAM O MANIFESTO CONTRA OS PROJETOS DE LEI DA CAÇA:

Redes e Coletivos de âmbito de atuação estaduais e nacional (Nome completo):

ABRAMPA Associação Brasileira dos Membros do Ministério Público do Meio Ambiente (Belo Horizonte – MG)

Aliança Pró Biodiversidade (APB)

Confederação Nacional de Reservas Particulares de Patrimônio Natural CNRPPN

Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica CN-RBMA

Federação das Associações, Organizações Não Governamentais, Sociedade Protetoras dos Animais e Sindicatos de Profissionais da Proteção Animal do Estado de São Paulo (FAOS/SP)

Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e o Desenvolvimento – FBOMS

Fórum de ONGs Ambientalistas do Distrito Federal

Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal FNPDA

Grupo de Ação Política de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres GAP Trafi

Observatório do Clima OC

Rede Ambiental do Piauí REAPI (Piauí)

Rede Brasileira de Educação Ambiental REBEA

Rede de Educação Ambiental do Paraná REA/Paraná

Rede de Educação Ambiental e Políticas Públicas REAPOP

Rede de Mosaicos de Áreas Protegidas REMAP

Rede de Organizações Não Governamentais da Mata Atlântica RMA

Rede Internacional de Pesquisadores em Educação Ambiental e Justiça Climática REAJA

Rede Mato-grossense de Educação Ambiental REMTEA

Rede Nacional Pró Unidades de Conservação Rede Pró-UCs

Rede Sul Brasileira de Educação Ambiental REASul

Rede Temática Materiais de Educação Ambiental REMATEA

Rede de Juventude pelo Meio Ambiente e Sustentabilidade REJUMA

REDEA Rede Educacional do Direito dos Animais e Meio Ambiente

REDEMPA Rede Latino-americana de Ministério Público Ambiental (Cuiabá-MT)

Organizações da Sociedade Civil – OSC (nome completo, cidade e estado da sede ):

ABRAÇO ANIMAL- Centro de Acolhimento e Resgate de Cavalos de Carroceiros (São Paulo SP)

ACAPRA Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Brusque SC)

ACAPRA Associação Catarinense de Proteção aos Animais (Florianópolis- SC)

Acaprena Associação Catarinense de Preservação da Natureza (Blumenau SC)

Adote um Focinho (Biguaçu SC)

ALPA Associação Lourenciana de Proteção aos Animais (São Lourenço do Sul RS)

AMAR Associação de Defesa do Meio Ambiente de Araucária (Araucária PR)

AMECA-Associação Movimento Ecológico Carijós (São Francisco do Sul SC)

Amigo Bicho & Companhia- Grupo de Conscientização da Vida Animal (Rio Grande RS)

AMOGA Associação Montenegrina dos Guardiões dos Animais (Montenegro RS)

ANDA Agência de Notícias de Direitos Animais (São Paulo SP)

AOPA Associação Ouropretana de Proteção Animal (Ouro Preto MG)

APASFA Associação Protetora de Animais São Francisco de Assis (Carazinho RS)

APATA Associação Protetora dos Animais de Taquara (Taquara RS)

APOENA Associação em Defesa do rio Paraná, Afluentes e Mata Ciliar (Presidente Epitácio SP)

Apremavi Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Atalanta SC)

APROBEM Associação Municipal de Proteção e Bem-Estar Animal (São Jerônimo -RS)

APROCAN Associação Protetora dos Animais de Canoas (Canoas RS)

APROMAC Associação de Proteção ao Meio Ambiente de Cianorte

Aquasis Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Caucaia CE)

Argonautas Ambientalistas da Amazônia (Belém PA)

ARPA BRASIL Associação pela Redução Populacional e Contra o Abandono de Animais (Goiânia

– GO)

ASM Cambaquara Área de Soltura Monitorada de Fauna Silvestre Cambaquara (Ilhabela -SP)

ASM Fazenda Nova Gokula (Área de Soltura e Monitoramento de Vida Silvestre Nova Gokula (Pindamonhangaba – SP)

ASM Fazenda Renópolis Área de Soltura e Monitoramento de Vida Silvestre Fazenda Renópolis (Santo Antonio do Pinhal SP)

ASM Gigante do Itaguaré (Área de Soltura e Monitoramento de Vida Silvestre Gigante do Itaguaré (Cruzeiro – SP).

ASM Jatayu Área de Soltura e Monitoramento de Vida Selvagem Projeto Jatayu (Santo Antonio do Pinhal – SP).

ASPA Associação Santanense de Proteção aos Animais (Santana do Livramento RS)

ASPOAN Associação Potiguar Amigos da Natureza (Natal RN)

Associação Alternativa Terrazul (Brasília DF)

Associação Ambientalista Copaíba (Socorro SP)

Associação Brechó ChiCão (Caxias do Sul RS)

Associação Cunhambebe (Ubatuba SP)

Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé (Porto Velho RO)

Associação de Fotógrafos de Natureza-AFNATURA (Rio de Janeiro RJ)

Associação de Proteção Animal de Tefé APAT (Tefé AM)

Associação de Proteção Animal e Ambiental Tribuna Animal (São Paulo SP)

Associação Defensores da Terra (Rio de Janeiro– RJ)

Associação Ecológica Força Verde (Guarapari ES)

Associação Flora Brasil (Itamaraju BA)

Associação Frada Frente de Ação pelos Direitos Animais (Joinville SC)

Associação Guajiru (Trairi – CE)

Associação MarBrasil (Pontal do Paraná PR)

Associação Mata Ciliar (Jundiaí SP)

Associação Mico-Leão-Dourado AMLD (Silva Jardim- RJ)

Associação Mineira de Defesa do Ambiente AMDA (Belo Horizonte MG)

Associação Onçafari (São Paulo SP)

Associação Park Way Residencial (Brasília DF)

Associação Protetora de Animais Silvestres APASS (Assis SP)

Associação Santafloresta (Campinas SP)

Associação Vianei de Cooperação e Intercâmbio, no Trabalho, Educação, Cultura e Saúde – AVICITECS (Lages – SC)

ATPA Associação Torrense de Proteção aos Animais (Torres RS)

Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste CEPAN (Recife- PE)

CEO Centro de Estudos Ornitológicos CEO (São Paulo SP)

CEVAS Centro Voluntário de Reabilitação de Animais Selvagens (Anápolis- GO)

Clube Amigo dos Animais (Santa Maria RS)

Coletivo Educador Municipal de Foz do Iguaçu (Foz do Iguaçu PR)

Crescente Fértil (Resende RJ)

Departamento de Medicina Veterinária da UFPR Universidade Federal do Paraná

ECOA Ecologia & Ação (Campo Grande MS)

Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional FASE Bahia (Salvador BA).

Fórum Carajás Centro dos Direitos das Populações da Região de Carajás (São Luís MA)

Fórum de Direitos Humanos e da Terra FDHT (Cuiabá- MT)

Freeland Brasil (São Paulo SP)

Fundação Brasil Cidadão (Fortaleza CE)

Fundação Relictos de Apoio ao Parque Estadual do Rio Doce (Ipatinga MG)

Fundação Rio Parnaíba FURPA (Teresina -PI)

GADA Grupo de Amparo e Defesa Animal (São Leopoldo RS)

Gambá Grupo Ambientalista da Bahia (Salvador BA)

GEDA Grupo de Estudos de Ética e Direito Animal da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (São Paulo SP)

Greenpeace Brasil (São Paulo SP)

Grupo Ação Ecológica GAE (Rio de Janeiro RJ)

Grupo Ambiental Natureza Bela (Itabela SP)

Grupo de Gestão de Fauna Silvestre GEFAS (São José dos Campos SP)

Grupo de Pesquisa Educação, Estudos Ambientais e Sociedade GEEAS-Univali (Itajaí SC)

Grupo de Desenvolvimento Humano e Ambiental Instituto Goiamum (Serra ES)

Grupo de Voluntários para Valorização da Vida Animal (Jundiaí SP)

Grupo Fauna de Proteção aos Animais (Ponta Grossa PR)

Grupo Pau-Campeche (Florianópolis SC)

Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte GPEA/UFMT (Cuiabá MT)

Grupo Ramatis (Porto Alegre RS)

Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas GUPE (Ponta Grossa PR)

Hachi Ong Proteção Animal (Blumenau SC)

IAA Instituto Abolicionista Animal (Salvador –Bahia)

Iniciativa Verde (São Paulo -SP)

Instituto Ambiental Ecosul (Florianópolis SC)

Instituto Bem Animal (Florianópolis SC)

Instituto Caracol ICA (Cuiabá MT)

Instituto Curicaca (Porto Alegre- RS)

Instituto de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental SPVS (Curitiba PR)

Instituto de Pesquisa Pró Raptors (Belo Horizonte MG)

Instituto É o Bicho (Florianópolis SC)

Instituto Ecos do Cerrado IECOS Brasil (Palmas TO)

Instituto Espaço Silvestre (Itajaí SC)

Instituto Esperança dos Anjos de Proteção Animal (São Paulo SP)

Instituto Floresta Viva (Ilhéus- BA)

Instituto Goiamum (Serra ES)

Instituto Luisa Mell de Assistência aos Animais (Ribeirão Pires, SP)

Instituto MIRA-SERRA (Porto Alegre e São Francisco de Paula RS)

Instituto Pangea (Aracaju- SE)

Instituto para o Desenvolvimento Ambiental IDA (Brasília-DF)

Instituto Route Brasil (Florianópolis SC) 103.Instituto Socioambiental ISA (Brasília DF) 104.Instituto SOS Pantanal (Campo Grande MS) 105.Instituto Teko Porã Amazônia (Belém PA) 106.Instituto Vida Livre – IVL (Niterói -RJ) 107.Instituto Viva a Cidade IVC (Joinville SC)

108.Internacional de Educação do Brasil IEB (Brasília DF) 109.IPÊ Instituto de Pesquisas Ecológicas (Nazaré Paulista- SP) 110.Mater Natura Instituto de Estudos Ambientais (Curitiba -PR)

111.MGDA- Movimento Gaúcho de Defesa Animal (São Leopoldo – RS) 112.MoCAN Peruíbe – Movimento Contra as Agressões à Natureza (Peruíbe – SP)

113. Movimento Crueldade Nunca Mais (São Paulo SP) 114.Movimento de Defesa de Porto Seguro (Porto Seguro BA)

115.Movimento Mineiro pelos Direitos Animais MMDA (Belo Horizonte MG) 116.Movimento Pró Rio Todos os Santos e Mucuri (Teófilo Otoni – MG) 117.Movimento REBELIÃO (Cuiabá MT)

Movimento Unidos por Bombinhas (Bombinhas SC)

NATUREZA ANIMAL Associação Pró-Biodiversidade e Vida Sustentável (São Paulo SP) 120.NBPASFA Núcleo Bageense de Proteção aos Animais São Francisco de Assis (Bagé RS) 121.Núcleo Sócio Ambiental Araçá-piranga (Sapiranga RS)

122.Observatório da Educação Ambiental – OBSERVARE (Cuiabá – MT) 123.Observatório de Direitos Animais e Ecológicos – ODAE (Brasília -DF)

124.Observatório de Justiça e Conservação – OJC (Curitiba – PR) 125.Observatório de Justiça Ecológica da UFSC (Florianópolis – SC) 126.Observatório Educador Ambiental Moema Viezzer (Foz do Iguaçu – PR) 127.ONDA Organização Nacional de Defesa Animal (Cachoeirinha RS)

128. ONDAA Organização pela Dignidade dos Animais Abandonados (Novo Hamburgo RS) 129.ONG Cão Sem Dono de Proteção Animal (São Paulo SP)

130.ONG Gato do Mato (Caçador – SC) 131.ONG Princípio Animal (Porto Alegre -RS)

Organização Bem-Animal (Florianópolis SC)

PAATA Protetores e Amigos dos Animais de Tração Associados (Porto Alegre RS) 134.ProAnima Associação Protetora dos Animais do Distrito Federal (Brasília DF) 135.PROFAUNA Proteção à Fauna e Monitoramento Ambiental (Ubatuba SP)

Projeto Saúde e Alegria PSA Mantido pelo Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental CEAPS (Santarém PA)

Proteção Animal Mundial (São Paulo SP)

Rede de Proteção Ambiental e Animais REPRAAS (Teutônia RS) 139.Rede Dragonfly (Porto Alegre RS)

140.Reserva Ecológica de Guapiaçu Regua (Cachoeiras do Macacu RJ) 141.Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos (Cotia SP)

142.Sociedade Angrense de Proteção Ecológica SAPÊ (Angra dos Reis RJ) 143.Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil SAVE Brasil (São Paulo SP)

Sociedade Pró Educação, Resgate e Recuperação Ambiental S. E. R. R. A (Santo Antônio do Pinhal – SP)

SOS Animais Pelotas (Pelotas RS) 146.SOS Bichos (Pouso Alegre MG) 147.SOS Fauna Juquitiba SP

148.SOS QUATRO PATAS Centro de Proteção e Defesa dos Animais (Resende RJ) 149.TOXISPHERA Associação de Saúde Ambiental (Curitiba PR)

Uma Gota No Oceano (Rio de Janeiro RJ)

União Internacional de Proteção Animal UIPA (Fortaleza CE) 152.União Pela Vida UPV (Porto Alegre RS)

União Santa Mariense Protetora dos Animais (Santa Maria RS)

Vale Verde Associação de Defesa do Meio Ambiente (São José dos Campos SP) 155.VIVA Baleias, Golfinhos e CIA / Instituto Verde Azul (São Paulo SP)

156.WWF Brasil (Brasília – DF)

Técnicos, Pesquisadores, Artistas e Formadores de Opinião (nome completo, e informação sobre área de atuação, pesquisa, cargo ou função desenvolvida):

Adele Santelli Jornalista ambiental, trabalha na TV Cultura de São Paulo, mestranda em Ciência Ambiental na USP.

Adriana Camilo Bellemo – Bióloga pela Universidade Federal de São Carlos, mestranda em Recursos Florestais pela Universidade de São Paulo.

Alexander Welker Biondo – Médico Veterinário, pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Campus Botucatu, Mestrado em Clínica Médica Veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria, e Doutorado em Patologia Clínica Veterinária pela Universidade de Illinois, EUA. Professor da UFPR Universidade Federal do Paraná.

Alexandre Krob Mestrado em Agronomia/Especialista em Conservação da Biodiversidade – Pesquisador no Instituto Curicaca

Alexia Dechamps Atriz e ativista em causa animal e ambiental

Ana Cecilia Costa Atriz

Ana Paula Balderi – Bióloga, Especialista em Gestão e Gerenciamento Ambiental, pela ESALQ/USP.

Ana Paula Vidotto Magnoni Bióloga, com mestrado, doutorado e pós-doutorado em Zoologia pela UNESP (IB-Botucatu); atua nas áreas de ecologia de peixes e comportamento animal. Professora na universidade estadual de londrina, Paraná.

Ana Pires de Morais Cantora

Anabel de Lima Bióloga, Mestre em Educação Ambiental, técnica do Mater Natura.

Anderson Copini – Biólogo, Pesquisador em Conservação de Fauna na ONG Gato do Mato (Caçador – SC)

Angela Egrecil Antunes Panizzi Pedagoga, com experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em educação ambiental, sustentabilidade e gestão ambiental participativa. Técnica do Instituto Ambiental do Paraná IAP

Anna Paula Burlamaqui Soares Atriz

Antonia Morais Atriz, cantora e produtora

Betty Gofman Atriz

Betty Prado Atriz e empresária, sócia da Bemglô (www.bemglo.com) loja de produtos sustentáveis feitos no Brasil (São Paulo SP)

Bianca Bin Atriz

Bruno Gagliasso Ator

Caio Soh Diretor e roteirista

Carol Machado Atriz

Carolina Jabor Cineasta

Carolina Schaffer Bióloga e fotógrafa

César Vincensi Gabbi Tavares Engenheiro Florestal.

Cleo Pires Atriz, cantora e produtora

Clóvis José de Médico veterinário, analista em vigilância sanitária e ambiental na prefeitura de Barueri-SP.

Cristiane Schuch Pinto – Socióloga pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialização em Saúde Pública na Escola Nacional de Saúde Pública -ENSP/Fiocruz e mestrado em Saúde Comunitária pela Universidade de Montreal. Professora Assistente da Fundação Oswaldo Cruz.

Daniela Sarahyba Modelo.

Daniela Suzuqui Atriz e apresentadora

Edilaine Dick – Bióloga, Especialista em Educação no Campo e Desenvolvimento Territorial, Coordenadora de projetos da Apremavi Monte Carlo (SC).

Edmilson Bianchini – Biólogo, mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus de Rio Claro e doutorado em Biologia Vegetal pela Universidade Estadual de Campinas. Professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Edson Evaristo Zootecnista, Mestrado em Ciências Veterinárias. Diretor do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna SMMA Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Prefeitura de Curitiba (Curitiba PR).

Eliara Solange Müller Bióloga, Professora na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), em Chapecó SC.

Elisabete Carneiro Batista Braga Bióloga, Especialista em Educação Ambiental Mestre em Agronomia. Professora da Escola Politécnica Universidade de Pernambuco UPE.

Eugênia Kelly Luciano Batista – Bióloga, com atuação na área de meio ambiente, ecologia, manejo e conservação da vida silvestre. Residente Pós-Doutoral na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Fábio Zanella Farneda Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade do Oeste de Santa Catarina, mestre em Biologia da Conservação pela Universidade de Lisboa e doutor em Ecologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Assistente de direção no documentário “O Poema Imperfeito, baseado no livro com o mesmo nome do Professor Fernando Fernandez. O trailer do filme pode ser visto em: http://theimperfectpoem.wixsite.com/movie/trailerpt

Fernanda Dolce Promotora de Justiça, Coordenadora da Assessoria Especial de Promotoria Comunitária do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Fernanda Keulla Apresentadora.

Fernanda Tavares Modelo

Fernando Antonio dos Santos Fernandez Doutor em Ecologia, Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), trabalha com ensino e pesquisa em biologia da conservação.

Fiorella Mattheis Atriz, modelo e apresentadora

Flávia Balderi – Bióloga, Especialista em Botânica (UFLA), Especialista em Gerenciamento Ambiental (ESALQ/USP), Mestranda em Conservação da Biodiversidade (ESCAS).

Flávio Henrique Guimarães Rodrigues Biólogo, Mestre em Ecologia (UNICAMP), Doutor em Ecologia (UNICAMP), professor do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Frank Alarcón Biólogo, membro-fundador do Instituto Luisa Mell (www.ilm.org.br) e porta- voz/membro fundador do Partido ANIMAIS ( www.animais.org.br).

Gelcira Teles – jornalista, integrante e fundadora da PAATA e APIPA, articuladora de Comunicação e fundadora do Partido ANIMAIS.

Geraldo França Jr Ilustrador naturalista de projetos de conservação da vida selvagem.

Giovanna Ewbank -Atriz, repórter, modelo e apresentadora

Glaucia Maria Machado Santelli Bióloga, Mestre e Doutora em Biologia/Genética pela Universidade de São Paulo (USP). Professora titular da USP, no Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento. Integrante do Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz CADES Pinheiros.

Glória Pires Atriz e empresária, proprietária da Bemglô (www.bemglo.com) loja de produtos sustentáveis feitos no Brasil (São Paulo SP)

Guilhermina Guinle Atriz

Heloisa Perisse Atriz

Henrique Simão Pontes Geógrafo, Mestre em Gestão do Território, Doutorando em Geologia Ambiental (UFPR) e pesquisador do Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas (GUPE), Ponta Grossa- PR.

Ícaro Silva Ator, cantor e escritor.

Isabell Fillardis Atriz

Jacqueline Sato Atriz, apresentadora e modelo

João de Deus Medeiros Biólogo, Mestre em Ciências, Doutor em Botânica, Professor e pesquisador do programa de Pós-Graduação em Pericias Ambientais Criminais do Centro de Ciências Biológicas CCB/UFSC.

João Luis Bittencourt Guimarães Engenheiro Florestal, com mestrado em Engenharia Florestal pela UFPR. Diretor executivo da empresa Aquaflora Meio Ambiente Ltda.

Joao Vitti Ator

José Otávio Franco Integrante da Casa Zero, um hub de criação colaborativa que tem por missão propagar a cultura da sustentabilidade no ambiente construído.

Kadu Moliterno Ator

Karen Junqueira Atriz

Karina Miotto Mestre em Ciência Holística na Schumacher College, Inglaterra, facilitadora de vivências em ecologia profunda, sustentabilidade e reconexão formada na Tracker School (Califórnia), Gaia Education (Rio de Janeiro), Instituto Romã (São Paulo) e The Work That Reconnects.

Karla Fabiana Atriz e comediante

Kátia Gomes Facure Giaretta Bióloga, Mestre e doutora em Ecologia pela Unicamp, Professora do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Uberlândia MG.

Larissa Maciel Atriz

Laura Neiva Atriz e modelo

Laura Valente de Macedo Mestre em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo e em Gestão Ambiental pela Universidade de Oxford, com bolsa Chevening do Governo Britânico.

Letícia Birkheuer Atriz e modelo

Letícia Colin Atriz

Letícia Sabatella Atriz e cantora

Liana Márcia Justen – Pedagoga, especialista em Planejamento Educacional e em Ensino Fundamental, mestre em Educação linha de pesquisa: Educação, Estudos Ambientais e Sociedade.

Lisiane Becker Bióloga, Mestre em Biociências/Zoologia (Instituto Mirra Serra e Prefeitura de Guaíba – RS).

Luana Clarice das Neves Bióloga, pesquisadora e mestranda em Biomas Tropicais na UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto (MG).

Luísa Mell Ativista pelos direitos dos animais, fundadora e gestora do Instituto Luísa Mell de Assistência aos Animais.

Luiz Carlos Cardoso Vale Engenheiro florestal formando pela Universidade Federal de Viçosa (MG), com atuação técnico-profissional anterior no Instituto Estadual de Florestas (SP), consultor técnico.

Luiz Fernando Magalhães Empresário

Marcello Novaes Ator

Marcelo Campos Rodrigues Médico Veterinário, mestre em saúde coletiva pela UFPI e doutor em Medicina Veterinária pela UFRPE, professor de Clínica Cirúrgica Veterinária da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Marcelo Faria Ator

Marcelo Mattos Marques Presidente da Sociedade União Internacional Protetora dos Animais

– SUIPA RJ

Marcelo Médice Ator e humorista.

Marcelo Sarquis Soares Advogado e músico,

Marcelo Serrado Ator, autor, produtor e diretor

Marcos Palmeira Ator e empresário

Marcos Prado Fotógrafo, produtor e diretor de cinema

Marcus Canuto Biólogo, Mestre em Ecologia de Biomas Tropicais, UFOP (Diretor do Instituto de Pesquisa Pró Raptors).

Maria Emilia Morete Bióloga e doutora em Ecologia pela Universidade de São Paulo (USP). Presidente do VIVA Baleias, Golfinhos e CIA / Instituto Verde Azul.

Maria Teresa de Andrade Ramos Ferraz Procuradora de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Marilea Fátima Matiazzo – Bacharel e licenciada em Ciências Biológicas, pós-graduada em Desenvolvimento Sustentável ênfase em Biologia, mestre em Ciências Ambientais e graduanda em Medicina Veterinária, Chapecó/SC.

Maria Sylvia Silva Dantas – Professora de Física da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG (aposentada).

Mário Luís Orsi Biólogo, doutor em Zoologia, coordenador do Laboratório de Ecologia de Peixes e Invasões Biológicas (LEPIB) da Universidade Estadual de Londrina.

Marlus Cesar Kornann Biólogo com MBA em gestão de projetos e concluindo mestrado em gestão ambiental.

Marta Regina Barrotto do Carmo – Bióloga, Profa. Dra. Departamento de Biologia Geral da Universidade Estadual de Ponta Grossa UEPG (Ponta Grossa PR)

Mateus Solano Ator

Mauricio Savi Biólogo. Doutor e mestre em Engenharia Florestal Conservação da Natureza (UFPR), possui especializações em Administração e Manejo de Unidades de Conservação (UEMG) e Manejo de Áreas Protegidas e Vida Silvestre (Colorado State University / USA). Membro da Comissão Mundial de Áreas Protegidas (IUCN) desde 1996.

Maysa Folmann Geóloga formada pela UFPR, mestranda em Gestão do Território pela UEPG – Ponta Grossa – PR

Michèle Sato Doutora em Ecologia, pós-doutorado em educação, líder do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMT.

Michelle Sadovski Bittencourt – Graduada em Bacharelado em Turismo e Especialista em Turismo e Desenvolvimento Regional pela Universidade do Estado de Mato Grosso.

Miguel Falabella Ator, autor e diretor.

Miriam Prochnow Ambientalista, educadora e especialista em Ecologia. Fundadora da Apremavi.

Mônica Martelli Atriz e autora 101.Murilo Rosa Ator

102.Nathalia Dill – Atriz 103.Ney Matogrosso – Cantor

Norma Sueli Padilha Formada em Direito, com pós-doutorado em Ética Ambiental pela UNICAMP, doutorado em Direitos Difusos e Coletivos e mestrado em Direito das Relações Sociais, ambos pela PUC/SP. Professora adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC.

Orlando Morais Cantor, compositor e produtor 106.Paolla Oliveira Atriz e modelo

Patrícia Hiromi Hanate Bióloga, fiscal de meio ambiente na Prefeitura Municipal de São Vicente – SP.

Paula Bezerra de Mello Relações Públicas do Grupo Hotéis Fasano 109.Paula Braun Atriz e cineasta

Paulo Aparecido Pizzi, Biólogo, Especialista em Ecologia das Águas Continentais pela PUCPR (Mater Natura Instituto de Estudos Ambientais, Curitiba-PR).

Paulo Roberto Castella – Engenheiro agrônomo, técnico da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA) do Paraná.

Ricardo Koch Cavalcanti (Zig Koch) Fotógrafo de natureza. Sócio fundador da Associação de Fotógrafos de Natureza do Brasil. (AFNATURA)

Roberto Bóçon Biólogo, mestre em Ciências do Solo e doutor em Zoologia, pela UFPR. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Ornitologia.

Roched Seba idealizador do Instituto Vida Livre IVL 115.Rosa Maria Murtinho Atriz

Rosemeri Segecn Moro Doutora em Biologia Vegetal, pos-doc em Conservação da Natureza, Pesquisadora Sênior em Biologia da Conservação — Universidade Estadual de Ponta Grossa (Ponta Grossa, PR).

Sabrina de Bortoli Moro Engenheira Agrônoma (Sama Soluções Ambientais), Graduanda em Medicina Veterinária Universidade do Oeste de Santa Catarina/Unoesc.

Sandra de Sá Cantora

Simone Rocha Hiromoto Médica Veterinária pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). 120.Silvana Andrade Jornalista, presidente da ANDA Agência de Notícias de Direitos Animal 121.Otavio Augusto Pinto de Moura (Tavinho Moura) Músico

122.Tayala Ayala Atriz e modelo 123.Vanessa Loes Atriz

Vania Tuglio Promotora de Justiça do GECAP Grupo Especial de Combate aos Crimes Ambientais MPSP -Ministério Público do Estado de São Paulo.

Vitor Sá – Fotógrafo 126.Wagner Santisteban Ator

Wigold B. Schaffer – Ambientalista, administrador, coordenador do Conselho Consultivo da Apremavi.

Zulmira Helena Gamito Coimbra de Almeida – Aluna de Doutorado em Ecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Biologia da Conservação pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Portugal) e graduação em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimídia pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Portugal). Produtora do documentário “O Poema Imperfeito”, baseado no livro homônimo do Professor Fernando Fernandez, cujo trailer pode ser visto em: http://theimperfectpoem.wixsite.com/movie/trailerpt

OBS.: A adesão de 55 artistas e formadores de opinião ao Manifesto contra a caça somente foi possível graças aos esforços de duas atrizes e ativistas em causas animal e ambiental, Alexia Dechamps e Paula Burlamaqui, que efetuaram os contatos e convites junto a eles. Nossos agradecimentos, Alexia e Paula.

Sobre Sindsema

Veja também

Abertas inscrições para cursos a distância na área ambiental

São dois cursos – um sobre educação ambiental e outro sobre água -, cada um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *